Redescoberta do não
Em Destaque, Empoderamento | 06 de mar de 2018

Quando foi que desaprendi a dizer “não” na minha vida?

Será que foi durante a escola, quando queria ser legal com todo mundo para que ninguém fizesse piada com o meu peso? Será que foi no Ensino Médio, enquanto eu tentava agradar a todos para que não lembrassem que meu corpo era “errado” e fizessem disso uma piada? Pensando bem, também pode ser que eu tenha esquecido do não quando assumi que eu precisava ser inteligente, amiga, engraçada, fiel e foda por simplesmente não conseguir ser bonita.

Mas quem foi que disse que eu não era bonita? Me pergunto isso toda vez que resgato as fotos da caixa de lembrança e vejo nelas aquela criança e adolescente que se escondia dentro de si e que, a duras penas, foi aprender apenas na vida adulta o verdadeiro valor de sua essência.

Sentir-se errado nos tira o poder de ser quem somos. Talvez o medo do julgamento alheio nos acompanhe a vida toda, mas, cientes de quem realmente somos, conseguimos enfrentá-lo.

Quando uma pessoa se sente errada ela tenta de forma infindável conquistar a admiração do outro por outras vias, foi exatamente assim que aconteceu comigo e provavelmente com você também. Neste processo esqueci de pôr limites na opinião do outro, fingi não me importar com as brincadeiras ofensivas e sempre quis mostrar que eu estava tentando mudar para entrar nos padrões e ser ainda mais legal quando, na verdade, lá no fundo – e protegida de todo o mundo – eu me sentia bem em ser quem eu era. A falta dos “nãos” me cegou e por mais de 20 anos não consegui perceber isso.

Se eu pudesse enviar uma carta à Thamiris de 10 anos atrás eu diria:

  • Não aceite a dica de dieta de quem diz só pensar na sua saúde
  • Não aceite a piada ofensiva de quem diz só estar brincando
  • Não aceite viver uma vida em busca da aprovação de alguém
  • Não deixe de ser você mesma por querer ser como outro alguém
  • Não acredite no que as revistas dizem, elas só querem vender
  • Não deixe de vestir aquela roupa que você tanto queria
  • Não deixe de estabelecer os limites na opinião do outro
  • Não chore, você é linda sim!
  • Não esqueça de dizer “não”

Praticar o “não” é um desafio e tanto, principalmente para quem busca um cantinho para se encaixar, mas ele é fundamental para que você possa enxergar o mundo com mais clareza de sentimentos e razões. Apesar de estabelecer limites, um simples “não” abre um leque de inúmeros “sims” na sua vida.

O não é libertador. Pratique-o!

Deixar um comentário